(11) 3112-0939 Chamar no Whatsapp
3 Problemas de logística solucionáveis com a tecnologia

3 Problemas de logística solucionáveis com a tecnologia

A tecnologia se apresenta cada dia mais como um facilitador da vida moderna. Aplicável na vida e, claro, em qualquer segmento do mercado, podemos contar também com a tecnologia na logística!

De acordo com os dados obtidos no último Índice de Desempenho Logístico (LPI) – de 2018 -, do Banco Mundial, o Brasil apresentou queda no ranking geral entre os 160 países que classificam sua logística através de entrevistas.

Em 2016 o Brasil ocupava a  55ª colocação e em 2018 ficou em 56º lugar. Diante de um cenário econômico em crise e com baixa nos negócios, isso consecutivamente se reflete na transportação de mercadorias. Desse modo, diversos fatores são apontados na pesquisa alertando sobre necessárias melhorias para o avanço da logística no país.

A deficitária infraestrutura no setor de transportes é uma das principais responsáveis por problemas ligados à mobilidade, principalmente no que se refere à qualidade e quantidade de rodovias. Apesar disso, outros contratempos surgem no caminho e interferem diretamente no desempenho do setor de  logística.

A boa notícia é que atualmente muitos desses obstáculos podem ser resolvidos com o uso da tecnologia na logística.  Portanto, separamos três exemplos para demonstrar que há soluções ao alcance das áreas estratégicas e gerenciais e devem ser aplicadas.

1. Gerenciamento e planejamento de transportes

O que pode parecer bastante simples para algumas empresas é um verdadeiro desafio para outras. Quando a cultura organizacional já internalizou alguns padrões e obstáculos, se torna bastante difícil modificá-los. Esse é o caso de problemas relacionados ao gerenciamento de planejamentos.

A falta de visão quanto a otimização de tempo e recursos que a roteirização de distribuição de cargas pode trazer à logística é um dificultador. Não bastando, a resistência ao uso de ferramentas que otimizem a experiência de deslocamento também tem se mostrado fator prejudicial nas execuções planejadas.

Com tantas informações codificadas e informatizadas, os motoristas podem (e devem) recorrer a aplicativos que potencializam a mobilidade. Eles auxiliam na visualização do trânsito, mostram caminhos alternativos, avisam sobre acidentes no percurso e dão até previsões do tempo de deslocamento.

Além disso, o blockchain também é uma alternativa a um gerenciamento confiável de informações e comunicações. 

Essa tecnologia na logística funciona como um ambiente de armazenamento e descentralização de todo tipo de informação acerca da carga. Nessa dinâmica os dados armazenados passam por detalhada avaliação e, agregados ao sistema, não podem ser modificados por nenhum usuário. Tudo isso para garantir a transparência da comunicação. 

Adotando essa ferramenta os gestores podem ter uma visão mais panorâmica sobre sua logística, conseguindo programar ações e outras decisões de seus processos e produtos.

2. Roubos de cargas

Os roubos de cargas são práticas que se tornaram tão comuns que somente em 2018 houve mais de 22 mil ocorrências registradas no Brasil, segundo levantamento feito pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC). Esse alarmante número, entretanto, representa 15% menos casos comparado ao ano de 2017.

De acordo com especialistas e com os resultados da pesquisa, o cenário tem se acalmado nos últimos anos. Porém, altos valores das mercadorias e às falhas de intervenções policiais fazem desse desfalque algo muito recorrente.

Nesse caso, o que as altas gerências podem fazer é agregar um bom monitoramento aos planejamentos de distribuição. Isso resguardará a segurança dos motoristas, dos auxiliares de entregas e das cargas em transporte.

Para isso, o uso de GPS e de chips de rastreamento em peças de maior valor pode ser uma alternativa. Espera-se, desse modo, intimidar ações criminosas, minimizando os prejuízos das empresas embarcadoras.

Entretanto, essas ações pontuais não são garantia, mas podem trazer maior tranquilidade para todas as pontas de uma cadeia logística. Por isso, o monitoramento em tempo real é uma das facilidades preferidas pelos embarcadores e clientes finais.

3. Altos custos para entregas

Diante de uma economia alvo de fortes impactos nos últimos anos, foi possível acompanhar uma preocupante instabilidade nas tributações do petróleo. Esse cenário, consequentemente, influenciou diretamente nos valores cobrados pelos serviços das transportadoras.

Fato é que mesmo após a greve dos caminhoneiros que ocorreu em 2018, os valores cobrados nos transportes de mercadorias representam grande parcela dos gastos de empresas e lojas.

Como uma alternativa a essa realidade, a ZapFrete criou um sistema e um aplicativo para promover o frete colaborativo. A plataforma oferece tecnologia na logística com o objetivo de criar conexões. Lá motoristas autônomos que desejam aumentar seu faturamento e embarcadores que queiram diminuir despesas com suas entregas fecham boas parcerias.

Com um processo simples e intuitivo, em apenas alguns cliques é possível encontrar a melhor oferta de frete com toda a segurança e garantia oferecidos pela ZapFrete.

Para entender um pouco mais e/ou fazer parte dessa rede de frete colaborativo baixe o aplicativo da ZapFrete (Google Play) e descubra uma nova realidade de economia e facilidade para a logística da sua empresa.

Deixe uma resposta

Fechar Menu